Tribuna da Notícia

O Seu Jornal na Internet!

Saúde e bem estar- História das vacinas

Cleide Vidal Hoinocz Farmacêutica CRF-PR 21811, Pós-graduanda em Farmácia Estética.

Olá queridos leitores!
Está semana li uma notícia a respeito da insegurança da população em relação às vacinas da Covid 19, as pessoas que tomaram a primeira dose e tiveram reações como, febre, dor de cabeça, dor no local da aplicação, dor no corpo etc., estão recusando a segunda dose. Pelo fato de ser uma pandemia a Covid 19 trouxe muita incerteza, medo e insegurança, principalmente quanto à eficácia das vacinas.
A história da vacina teve início no século XVIII, com o inglês Edward Jenner, ele nasceu em Berkeley, na Inglaterra, em 17 de maio de 1749. Com apenas treze anos de idade ele ajudava um cirurgião em Bristol. Se formou em medicina em Londres, e, em seguida, retornou a sua cidade natal, onde realizou experimentos relativos à varíola, na época, era uma das doenças mais temidas pela humanidade. A varíola matava cerca de 400 mil pessoas por ano.
Em 1789, ele começou a observar que as pessoas que ordenhavam vacas não contraíam a varíola, desde que tivessem adquirido a forma animal da doença. O médico extraiu o pus da mão de uma ordenhadora que havia contraído a varíola bovina e o inoculou (introduziu) em um menino saudável, James Phipps, de oito anos, em 4 de maio de 1796. O menino contraiu a doença de forma branda e, em seguida, ficou curado.
Em 1º de julho, Jenner inoculou (introduziu) o líquido extraído de uma pústula de varíola humana no mesmo menino. James não contraiu a doença, o que significava que estava imune à varíola. Estava descoberta a primeira vacina com vírus atenuado. Edward Jenner publicou os resultados de sua experiência no tratado “Investigação Sobre a Causa e os Efeitos da Varíola Vacum”, que foi apresentado à Royal Society de Londres, a Academia de Ciências do Reino Unido.
No ano seguinte, suas provas foram consideradas insuficientes. O médico realizou novas inoculações em outras crianças, inclusive no próprio filho. Em 1798, o seu trabalho foi reconhecido e publicado. Em um primeiro momento, sua pesquisa foi ridicularizada, sendo denunciado como repulsivo o processo de infectar pessoas com material colhido de animais doentes. No entanto, os benefícios da imunização logo se tornaram evidentes. Em 1980 a varíola foi considerada erradicada pela OMS (Organização Mundial de Saúde).
Em 2018 o Brasil enfrentou o surto do sarampo com o aumento da transmissibilidade, o aumento de casos se deu pela falta de confiança na vacina. A vacina Tríplice Viral imuniza contra sarampo, caxumba e rubéola.
O SARS COV 2, agente causador da COVID-19, matou milhões de pessoas no mundo, em tempo recorde foram desenvolvidas várias vacinas e depois que a aplicação de doses da vacina foi acelerada os casos e mortes diminuíram, por isso é importante que todos sejam vacinados, as reações são normais dependendo do tipo da vacina,mas são passageiras e não causam danos a saúde.
Por que a vacinação é tão importante?
• Reduz o número de casos de doenças infecciosas
• Diminui transmissão das doenças
• Reduz as hospitalizações e reduz gastos com medicamentos
• Diminui a mortalidade por doenças infectocontagiosas
• Contribui para a erradicação de doenças
As doenças infecciosas são um problema de saúde pública. Se estudarmos a História das Vacinas, vamos descobrir que elas têm um impacto positivo para a prevenção de muitas doenças, tantas outras vacinas que poderia descrever aqui, mas o mais importante é transmitir a importância das vacinas e vale dizer que são confiáveis, pois passam por várias etapas de estudos e comprovações de eficácia e segurança e sim: VACINAS SALVAM VIDAS!
Dúvidas sobre as reações da vacina? Venha até a Farmácia Doutor Desconto, estamos a disposição para atendê-los.
Gilson Van Haandel, farmacêutico CRF-PR 24703.
Cleide Vidal Hoinocz, farmacêutica CRF-PR 21811.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Protected by WP Anti Spam